Equipe



Coordenação

JOSÉ LEONARDO TONUS

Maître de Conférences Habilité à diriger des recherches et spécialiste de la question de l’immigration dans la littérature brésilienne contemporaine, Leonardo Tonus est responsable du département de Portugais à l’Université Paris-Sorbonne. Il a publié de nombreux articles sur Graça Aranha, Plínio Salgado, Samuel Rawet, Lya Luft, Adoldo Boos Júnior, Milton Hatoum, Nélida Piñon, Adriana Lisboa, Bernardo Carvalho, Daniel Galera, Chico Mattaso, Joca Terron Reiners et Luiz Ruffato. Membre du conseil éditorial et du comité de lecture des diverses revues littéraires, il a coordonnée la publication des essais de l’écrivain Samuel Rawet (Samuel Rawet : ensaios reunidos, 2008) et du numéro 41 de la Revue Estudos de Literatura Brasileira Contemporâneade l'Universidade de Brasilia, consacrée à la représentation de la pauvreté dans la littérature brésilienne. Il a organisé diverses anthologies dont Littérature brésilienne contemporaine ( Revista Pessoa, 2015), Olhar Paris (Editora Nos, 2016) et Escrever Berlim ( Editora Nos, 2017). En 2014, il a été décoré Chevalier dans l’ordre des Palmes Académiques et en 2015, Chevalier dans l’ordre des Arts et des Lettres.  Nommé par le Centre National du Livre, il a été le Conseiller Littéraire pour le Salon du Livre de Paris, lors de l'hommage faite au Brésil.  Consultez son Curriculum Vitae : Curriculum Vitae
Leonardo Tonus é professor livre docente (Maître de Conférences Habilité à diriger des recherches) e Coordenador do Departamento de Estudos Lusófonos na Université Paris-Sorbonne (França). Foi  responsável pelo Programa de Intercâmbio PLI ( Programa de Licenciatura Internacional) com diversas universidades brasileiras. Membro do Conselho Editorial e do Comitê de Redação de diversas revistas internacionais, atua nas áreas de literatura brasileira contemporânea, teoria literária e literatura comparada, com pesquisas sobre imigração. Publicou vários artigos sobre autores brasileiros contemporâneos e coordenou a publicação, entre outros, dos ensaios inéditos do escritor Samuel Rawet (Samuel Rawet : ensaios reunidos, 2008), do número 41 da Revista Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea e a edição especial  da Revista Ibéric@l, em torno da nova cena literária no Brasil.  Condecorado pelo Ministério de Educação francês Chevalier em 2014 na ordem das « Palmas Acadêmicas », foi Curador do Salon du Livre de Paris de 2015 que teve o Brasil como país homenageado. Em 2015 foi condecorado pelo Ministério da Cultura francês Chevalier  na ordem das « Artes e das Letras ». Em 2014 e 2016 participou da Delegação Oficial brasileira no Salão do Livro de Göteburg (Suécia) e desde 2014 organiza o festival literário « Printemps Littéraire Brésilien ». Em 2016 foi curador da exposição « Oswald de Andrade : passeur anthropophage » no Centre Georges Pompidou (França). Organizou diversas antologias, dentre as quais, La littérature brésilienne contemporaine –spécial Salon du Livre de Paris 2015 ( Revista Pessoa, 2015), Olhar Paris (Editora Nós, 2016) e Escrever Berlim ( Editora Nós 2017).VitaeCurriculum Vitae

Colaboradores

Elvira Vigna é escritora e desenhista. Nasceu em 1947, no Rio de Janeiro e atualmente mora em São Paulo. Formada em literatura pela Universidade de Nancy, na França, é também mestre em comunicação pela UFRJ. Seu romance Nada a dizer, publicado em 2010 pela Companhia das Letras, recebeu o prêmio de ficção da Academia Brasileira de Letras.  Em 2012, lançou o romance O que deu para fazer em matéria de história de amor. Site oficial: http://vigna.com.br

Alexandre Staut nasceu em Espírito Santo do Pinhal (SP) em 1973. Jornalista, já trabalhou como cozinheiro na Inglaterra e na França (em Brest, Tours e Arromanches-les-Bain). Ministrou oficinas de haikai na Oficina Cultural do Estado de São Paulo (Bauru/SP). É roteirista do documentário “O anjo da guarda de Caio F.” e autor dos romances Jazz band na sala da gente (Toada Edições/2010) e Um lugar para se perder (Dobra/2012). No momento, trabalha em seu terceiro romance, num livro infantil e numa peça de teatro que está sendo escrita para a atriz cubana Phedra de Córdoba. Alexandre Staut é colaborador do blog Études Lusophones.


Laeticia Jensen Eble é doutoranda em literatura na Universidade de Brasília. Sua pesquisa atual, na linha de pesquisa de representação, detém-se sobre a produção literária dos autores da periferia urbana ligados ao movimento hip-hop, como Ferréz, Sérgio Vaz, Emicida, GOG entre outros. No mestrado, trabalhou com as xilogravuras de Oswaldo Goeldi e o romance Eles eram muitos cavalos, de Luiz Ruffato.

Mickaël C. de Oliveira é Mestre em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Universidade Paris Sorbonne (Paris-IV). Colaborador do LusoJornal em Paris, do blogue BandCom, consagrado à nova música portuguesa em Lisboa e também do website francês Chronofoot, pretende estimular e criar laços entre mundo lusófono e francófono.


Carine Figueira é estudante de Master 1 na Université de Paris-Sorbonne com pesquisa sobre o romance Diário da Queda de Michel Laub.


Yara Haddad é estudante do 2° ano do curso de LLCE de Português na Université de Paris-Sorbonne.

3 comentários:

  1. Boa tarde.
    Sendo uma leitora e pesquisadora, sugiro uma entrevista com Nicodemos Sena, um escritor paraense ainda desconhecido do público, mas muito bem recebido pela Crítica pela sua obra 'A espera do nunca mais - uma saga amazônica'.

    Abs.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir