quinta-feira, 24 de maio de 2018

Memorial


Memorial

Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito, 
Albert Einstein

Por Carlos Eduardo Pereira

fiquei sabendo que em Nantes (na França) tem um porto
e que perto desse porto há um museu

ao longo da calçada, centenas de plaquinhas brilhantes com nomes escritos
Le Juste
L’Union
Le Saint Jean Baptiste
La Felicité
Brésil

depois se desce pra uma espécie de porão
parece que abaixo do nível do mar
parece que sentindo a ressaca do mar
parece que escuro

logo na primeira parede
cravada na madeira ou no concreto, uma palavra
mais pro fundo outras poucas palavras
uma aqui, outra lá
mas todas a mesma: libertad


depois umas séries de números
milhares
milhões
registros de coisas
mulheres, crianças, homens
de sacas de açúcar

registros que cá no Valongo não tem
pode ir lá conferir se tem marcado
se no quadro mercado de escravos
procura lá pra ver se tem

aquele quadro de mil oitocentos
que está dentro do livro da escola e que é muito provável que esteja no acervo de um outro museu
se no registro da tela tem risco
se tem breu
vê lá se tem

não tem não
nesse quadro não tem nada








XXX




Carlos Eduardo Pereira nasceu no Rio de Janeiro, em fevereiro de 1973. Cursou História na UFRJ e Letras na PUC-Rio, na habilitação Formação do Escritor. Acaba de lançar, pela editora Todavia, Enquanto os dentes, seu romance de estreia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário