domingo, 5 de março de 2017

Para você, cabeça de vento!



Flor e Chagas, fotografía de Ayrson Heráclito (Foto: Divulgação)

Para você, cabeça de vento

Eu estou falando com você
Você que não fez a história
Eu venho de um país de pé
Saqueado pelo Galo e a Águia

Eu não sou nem cristão, nem católico
Que causou a guerra de cem anos
Nem a metrópole da religião capitalista
Pregando resiliência, fabricando miséria

Eu sou a mãe, mãe da Liberdade
Abandonada pela ignorância de desigualdade
E destruída pela Casa Grande
Em um mundo implacável de dificuldade

Eu tenho raízes humanistas da minha infância
Sem compromisso e com coração
Eu mostrei-lhe o caminho da razão
Nós éramos inseparáveis na época

Eu sei que minha vida é guerra
Você aprecia a força de meus filhos
Tratando-os bons trabalhadores como escravos
Com trabalhos pesados por um salario de miséria

Eu não sou nem a lixeira da América
Se você utilizar minha pobreza
Para construir suas cidades de beleza
Você é sanguessuga com sua ajuda humanitária!

Filhos de povoamento privilegiados!
Filhos de exploração marginalizados!
A história dos povos não é uma ficção
Porque nós somos todos os produtos de importação.



Yambi. Photo : Simon Tshiamala

Samba não é Portugal, samba é Colonial

Samba é negro, samba é Brasil
Samba é flor de nosso verão
Tocar tambor, dançar até suar
Para mostrar o mundo a razão de nosso coração

Samba é África, samba é Brasil
Samba é fruta dos anos 1500
Uma herança intrépida
Que não tem cor agora
Cheia de convivência de-cor
Samba é símbolo do Nordeste do Brasil
O rim do mercantilismo à época
Hoje o sertão desemprego e das mazelas
Por causa da monocultura
Da cultura da família Real
Tocar tambor, dançar até suar
Para mostrar o mundo a razão de nosso coração

Samba é alma de Zumbis dos Palmares
E Liberdade de expressão de nossas feridas históricas
Samba é o carnaval do Rio
Onde o mundo bebe amor e alegria

Com Samba eu rio História até o fim
Tocar tambor, dançar até suar
Para mostrar o mundo a razão de nosso coração.




Oi terra!

Tanta dor de desigualdade no mundo
Humanidade é igual ao princípio de contrario
Yin-Yang, terra e céu, calor e frio...
Existirá paraíso ou inferno?
Tanto grito de marginalização sem felicidade
A gente ordena suas leis para governar
Metrópole e colônia, escravidão e liberdade
Existe capitalista ou humanista?
Tanta paixão de divergência
Entre as raças e as categorias do mundo
Sobre o vestido da sensação humana
Para criar a discriminação no diário.
A terra se torna como a selva
“Viver Juntos” parece inusitado
Substituindo por capciosa palavra
Para estabelecer a diferença
O homem contemporâneo está infectado
Pelo veneno de ódio no espírito
O mundo evolui deixando seus efeitos
E suas marcas no cérebro humano
O inferno é a prisão mental dos infelizes
Viva a vida como ela está com os desafios!
Brancos e pretos, ricos e pobres!
A terra, nós somos todos herdeiros.

XXX

Quem é você Rei Seely? 

Eu sou haitiano: refugiado feijoada radicado em Curitiba desde 2014. Eu nasci em Gonaives no Haiti. Eu sou formado em Letras e Filosofia.








Nenhum comentário:

Postar um comentário