sábado, 28 de dezembro de 2013

Quarenta dias com Maria Valéria Rezende

Neste mês de Dezembro a Revista Pessoa publica um trecho do romance inédito de Maria Valéria Rezende que será lançado em 2014 pela Alfaguara. Segundo a autora “O texto foi escrito de maneira cuidadosamente descuidada. “Inventei” a história, que não tem nada de autobiográfico, e fui para Porto Alegre “testá-la”, fazendo em parte o que a personagem faria. Escrevi tudo depois que voltei pra casa”, conta Maria Valeria. ”Não copiei caderninho de anotações, escrevi a partir do que absorvi da experiência e não só dos 15 dias na capital do Rio Grande do Sul, mas da vida ao meu redor… ”Quarenta dias é “um caderno de desabafos. Não é nada “intimista”, embora brote do íntimo da personagem”, como descreve a própria autora. A protagonista é uma mulher comum, nada encucada, que tem a sua vida virada de ponta–cabeça por acontecimentos inesperados. “E é escrevendo que ela tenta entender o que aconteceu, por fora e por dentro dela.”

Confiram o texto de Maria Valéria Rezende no site da Revista Pessoa :
Assistam ao depoimento de Maria Valéria Rezende para o Blog Estudos Lusófonos e à sua participação no encontro de escritores organizado pelo professor Leonardo Tonus  na Universidade da Sorbonne e  no Salão do Livro de Paris em 2012. Cliquem nos links :

Maria Valéria Rezende no Salão do Livro de Paris.

Leiam o conto “Desejo” que o Blog Etudes Lusophones publicou em 2012. 
Desejo


Maria Valéria Rezende nasceu em 1942, em Santos (SP), onde morou até os 18 anos. Em 1965 entrou para a Congregação de Nossa Senhora - Cônegas de Santo Agostinho. Sempre se dedicou à educação popular, primeiro na periferia de São Paulo e, a partir de 1972, no Nordeste. Formada em Pedagogia e em Língua e Literatura Francesa, e mestre em Sociologia, trabalhou durante 20 anos como educadora em movimentos e organizações populares urbanas e rurais e na formação de educadores. Viveu no meio rural de Pernambuco e da Paraíba e, desde 1986, mora em João Pessoa. Já esteve em Angola, Cuba, França e Timor, entre outros países, convidada a falar sobre seus projetos sociais. Em 2001, começou a publicar ficção e poesia para adultos, jovens e crianças, tendo recebido importantes prêmios nessa área.
A experiência de Maria Valéria com a dor do analfabetismo e também com a educação de jovens e adultos foi o mote para O voo da guará vermelha. “Uma personagem se apaixona por aprender a ler e a outra descobre um sentido para sua vida, ensinando”. A autora constrói no livro o encontro de Irene, uma nordestina que vira prostituta em São Paulo, com Rosálio, um servente pedreiro. Dona de uma escrita inventiva e conhecedora da realidade de “Rosálios” e “Irenes”, Maria Valéria fez uma obra poética e forte, que dispensa trivialidades.

Alguns links...quelques liens

Vídeos

Maria Valéria lê Geraldo Maciel .


Resenhas e informações editoriais

Conversa de Passarinhos traz o diálogo em haikais das escritoras Alice Ruiz e Maria Valéria Rezende” por Wilson Beuno  ( 19/12/2008)

Sobre Modo de apanhar pássaros à mão  ( 05/08/2006)

Reseña de O vôo da guará vermelha de Maria Valéria Rezende. Brincher, Sandro. Revista Estudos Feministas, vol. 18, núm. 1, enero-abril, 2010, pp. 274-275.

Agência Riff

Editions Métailié

Editora Alfaguara

Editora Autêntica

Críticas e comentários

Site Verdes Trigos. (27/05/2006)

Blog do escritor Alfredo Monte (6/11/2011)

“O porto encarnado de Maria Valéria Rezende” por Alessando Atanes ( 28/07/2010) 
http://www.portogente.com.br/texto.php?cod=32966

“Narrativas com fôlego” por Tânia Regina Oliveira Ramos. In : Letras de Hoje.Porto Alegre, v. 42, n. 4, p. 32-41, dezembro, 2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário