sexta-feira, 29 de março de 2013

Literatura brasileira e alteridade animal

Ana Elisa Egreja, Ritz e Cildo, 2009

Conférence avec

Maria Esther Maciel
Professeur à l’Université Fédérale de Minas Gerais

Literatura brasileira e alteridade animal

Le mercredi 03 Avril  2013
De 11h30 à 12h30
Salle 13

Université Paris-Sorbonne
Institut Hispanique
31 rue Gay-Lussac
75005 Paris



Como o animal se inscreve na literatura moderna brasileira? Como alguns escritores brasileiros lidam, a partir do séc. 19, com as relações paradoxais entre viventes humanos e não humanos, humanidade e animalidade? Pretende-se, a partir dessas questões, investigar a presença dos animais em narrativas selecionadas de Machado de Assis, Guimarães Rosa, Graciliano Ramos, Clarice Lispector e João Alphonsus, com o propósito discutir as diferentes formas como esses autores trataram a questão da animalidade e contribuíram, cada um à sua maneira, para que se delineasse uma possível vertente “zooliterária” no âmbito das letras nacionais.

Maria Esther Maciel -  É professora de Teoria da Literatura e Literatura Comparada da UFMG, pesquisadora do CNPq e escritora. Publicou, entre outros, os livros A memória das coisas (ensaios, 2004), O livro de Zenóbia (ficção, 2004), O livro dos nomes (ficção, 2008), O animal escrito (ensaio, 2009) e As ironias da ordem (ensaios, 2010). Desenvolve, atualmente, o projeto Zooliteratura brasileira: animais, animalidade e os limites do humano”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário