terça-feira, 21 de junho de 2011

Scarlayte Borges : suas flores, suas cores

Beatriz Milhazes, Havai, 

                                                                           Ainda

            Ainda que eu tenha dias difíceis  e que o céu não esteja azul e que eu não veja o sol, eu não perco o otimismo e me lembro de que estas nuvens passarão e de que o sol há de iluminar a minha vida…
Ainda que eu me arrependa dos meus atos, eu me lembro de que os erros são humanos e de que são as maiores lições de vida....
Ainda que eu tenha decepções amorosas, eu me lembro de que há pessoas que me amam e  que por elas eu sempre lutarei...
Ainda que a saudade seja a minha maior dor, eu me lembro de que as lembranças são as maiores forças para combatê-la...
Ainda que eu perca o gosto de viver e ainda que eu me lembre de que a vida não é um mar de flores…             
a vida vale a pena, a vida vale ser vivida,
                 ainda.


Scarlayte Borges é estudante do curso de Letras (Português) no Departamento de Estudos Lusofonos da Universidade da Sorbonne

Nenhum comentário:

Postar um comentário