sexta-feira, 10 de junho de 2011

Maneiras de dizer o amor por Luis Alves

Paula Rego, Amor, 1955


Por mais puro que seja compreender o amor,
a forma de o expressar traz consigo  a dor…
Tentar explicá-lo não tem denominação,
sabendo que vem da voz do coração.

A maneira de dizer o amor : eu amo.
Oh! olhar no espelho que o reflete
e que, na minha vida sempre se inverte,
diz a ele o quanto o chamo…

Se o amor pelo outro é esquecido,
e que tu não o tenhas acolhido,
o sofrimento que nos traz abrigo

é transitório e passageiro.
O que tenho aqui comigo
é uma espécie de amor aventureiro.


Edvard Munch, Cupido


Tu és a que no mundo anda perdida,
Tu és a que na vida não tem norte,
És a irmã do sonho, e  desta sorte
És a crucificada… a dolorida…

Sombra de névoa tênue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele  brutalmente para a morte !
Alma de luto sempre incompreendida !...

És aquela que passa e ninguém vê…
És a que chamam triste sem o ser…
És a que chora sem saber por quê….

És talvez a visão que alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo para me ver…
E há pouco tempo encontrou-me, para nunca mais sofrer.
inspirado do poema "Eu" de Florbela Espanca



Luis Alves é estudante do curso de Letras do Departamento de Estudos Lusofonos na Universidade da Sorbonne.


2 comentários:

  1. Parabéns ao Luis Alves, pela belissima poesia. Tenho de registrar aqui que "Eu" é a poesia de Florbela que toca profundamente minh'alma... Obrigada pelo presente, poeta!...
    abraço da Nara

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Nara. A mim a poesia de Florbela também me marca muito e é sem sombra de dúvida uma inspiração para qualquer pessoa, é uma das poetisas que mais gosto..
    Abraço Luís

    ResponderExcluir